Archive for fevereiro, 2011

28 de fevereiro de 2011

Pela paz no Egito

Oi gente!

Abaixo, carta de Ramez Atallah Secretário-Geral da Sociedade Bíblica do Egito. Leia com atenção!

Muitas são as informações que nos chegam sobre a aflição assolada entre os egípcios. Apresentemos petições pelo pleito de paz à Deus, que pode direcionar os passos das autoridades e da população daquele país.

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”. Tiago 5:16 b

 

Caros e preocupados amigos,


Tenho certeza de que vocês têm acompanhando as notícias e estão conscientes dos problemas, dos tumultos e das tensões no Egito e em vários outros países desta parte do mundo. Eu não vou tentar analisar a situação, que está mudando a cada hora. A afirmação feita em um dia pode já tornar-se obsoleta no próximo!  Mas queremos que saibam que ficamos gratos pelas contínuas mostras de amor, pela preocupação e pelas orações feitas por este país.


Toda a equipe da Sociedade Bíblica está segura e as nossas propriedades estão intactas, sem dano algum. Apesar do tumulto geral, da incerteza, do medo, da raiva e de muitas outras emoções e situações, nós, enquanto cristãos, de nenhuma forma estamos sendo alvo ou ameaçados.

Depois que a polícia se ausentou das ruas do Cairo, do fogo ateado às delegacias e da fuga de milhares de prisioneiros, alguns se aproveitaram do caos para saquear e roubar. Sem contar com a proteção policial, os cidadãos, tanto os cristãos quanto os muçulmanos, estão se organizando em turnos para proteger seus bairros e bens durante a noite. Ao anoitecer, quando se aproxima o toque de recolher, barris, sacos e caixotes são posicionados em barricadas. Todos os carros são parados e as pessoas, interrogadas por homens armados com bastões, paus, pistolas e facas… Isso, porém, deu à maioria um sentimento real de segurança e de boa vontade!  Mas isso foi ontem. Provavelmente, a situação piore à medida que os civis tomem a lei pelas próprias mãos.

Expatriados são evacuados. Os bancos e o mercado de ações estão fechados. Os preços começaram a subir. A comida, os remédios e outros suprimentos estão diminuindo, já que a maioria das fábricas e das empresas estão fechadas após a onda de vandalismo da semana passada e do toque de recolher diário, que se estende das três da tarde às oito horas da manhã. Mesmo enquanto escrevo, estão acontecendo sangrentos confrontos entre civis egípcios na principal rotatória do centro…

POR FAVOR, OREM

a) Orem para que a situação volte ao controle muito rapidamente e com urgência. Há perdas massivas a cada minuto. Hoje, o número oficial de feridos, muitos deles graves, é superior a 600 pessoas, com pelo menos oito mortos. O canal de TV oficial anunciou prejuízos financeiros da ordem de 200 bilhões de libras egípcias (USD 36 bilhões) nos últimos oito dias.
b) Orem pelos pobres e miseráveis, os que mais sofrem neste momento.
c) Orem para que os cristãos no Egito (tanto os nativos quanto os expatriados) não fiquem tentados a “correr” quando as coisas ficarem difíceis. Libby Little, cujo marido, Tom, foi assassinado no Afeganistão no ano passado, disse que, durante aquela guerra terrível, ela e suas filhas eram conhecidas como “as pessoas que ficaram”! Lucien Accad, ex-chefe da Sociedade Bíblica do Líbano, permaneceu com sua família durante a perigosa guerra civil, embora todos tivessem passaportes suíços e pudessem ter partido.  Embora muitos estrangeiros estejam sendo obrigados a sair devido a políticas das empresas, nós oramos para que a pouca população cristã do Oriente Médio não diminua ainda mais devido aos atuais acontecimentos.
d) Orem para que a Sociedade Bíblica do Egito pense em formas criativas e adequadas de levar a Palavra de Deus ao povo durante esses tempos difíceis (afinal, grande parte da Escritura foi redigida em contextos de perigo).  Nossos funcionários estão trabalhando de suas casas na elaboração de materiais impressos e de áudio a serem produzidos assim que retornemos ao escritório. A Feira do Livro, que estava marcada para 29 janeiro – 8 fevereiro, foi adiada indefinidamente. As mesas de livros (uma extensão das ofertas da Feira do Livro) e os Domingos da Bíblia foram cancelados em todas as igrejas. Como esta é a temporada de picos de venda,certamente sentiremos o impacto negativo sobre grande parte de nossa distribuição da Bíblia e sobre a renda das vendas e captação de recursos. Por favor, orem conosco enquanto estudamos a melhor maneira de sanar esse hiato no faturamento.
e) Orem por sabedoria para que os líderes políticos e do exército saibam controlar a situação sem recorrer a meios brutais.
f) Orem pela futura liderança do país. Há uma profunda preocupação sobre quem vai governar o Egito. A porta será aberta para todas as ideologias políticas e religiosas, inclusive os extremistas e fundamentalistas.
g) Finalmente, por favor, orem por mim, a fim de que me recupere de um problema súbito de coração (arritmia), que me acometeu na última quarta-feira, forçando-me a passar oito dias na Unidade Coronariana. Ontem foi meu primeiro dia em casa.

OBRIGADO POR SUAS ORAÇÕES, É O QUE MAIS PRECISAMOS!
Com amor, me despeço de todos vocês em nome da equipe da Sociedade Bíblica do Egito.

Ramez Atallah
Secretário-Geral
Sociedade Bíblica do Egito

28 de fevereiro de 2011

Etiqueta profissional para homens e mulheres

 

Vários são os fatores que nos fazem realizar a opção por essa ou aquela peça de roupa: as pessoas que iremos encontrar, o dia, o sol, o vento, o evento…

Quando falamos de ambiente de trabalho, o assunto também requer muita atenção. O nosso comportamento profissional deve ser coerente com o nosso vestuário. Se não for um uniforme obrigatório, segue o que se recomenda para o traje em geral: considerar a idade e o físico da pessoa, combinar com a cor dos seus cabelos e da sua pele. Mas neste caso a roupa de trabalho, sofre ainda mais alguns controles: deve guardar uma certa harmonia de nível entre os empregados no sentido de que algum deles não exceda em luxo aos colegas, e sobretudo ao chefe. Porém, não há medidas para o bom gosto. Este não depende de luxo nem precisa respeitar hierarquias.

A seguir, algumas dicas de como se vestir para ir ao trabalho. Confira:

 

Para elas …

– Saias devem ter o comprimento até o joelho. Não se recomenda mais curto do que isso. Essas peças deixam o ambiente informal demais. Deixe para usá-las em seus momentos de lazer;

– As meias compridas são um acessório importante para a elegância, desde que não sejam espessas e chamem muito a atenção;

– Quanto a jóias e bijuterias é conveniente usar o mínimo em tamanho e quantidade. Brincos discretos e pequenos, cintos não muito largos;

– Evite roupas que são coladas ao corpo, curtas e sem mangas, com decotes grandes ou em tecidos transparentes ou brilhantes; a blusa deve ser opaca o bastante para esconder as costuras de peças íntimas. Decotes nunca são uma boa opção! Prefira camisas pólo e, dependendo da formalidade do seu local de trabalho, camisetas simples. Esqueça a blusa tomara-que-caia;

– Usem o jaleco diretamente sobre o vestido ou blusa, que de preferência, tenha gola;

– A maquiagem deve existir em tom ameno, sem exageros e levando em consideração o conjunto de roupas, acessórios e a realidade da empresa;

– Invista nas calças até a canela ou em bermudas sociais. Shorts devem ser poupados.

 

Para eles…

– O uso de paletó e gravata (com o mínimo de estampa possível) é praticamente obrigatório como paramento da liderança, tanto pública como privada. O modo de vestir-se de uma líder/chefe é sempre conservador. Os ternos são em cores escuras, listados ou não, a camisa branca, raramente azul claro, com punhos simples ou duplos, sapatos clássicos, de laço ou de fivelas, meias escuras e gravatas conservadoras. Tanto no governo quanto em empresas privadas os funcionários do alto escalão de chefia, podem usar blazer, mantendo a gravata. Em qualquer dos casos, a camisa a ser usada com o paletó é sempre de mangas compridas. O punho deve ultrapassar a ponta da manga do paletó, ficando cobertas as abotoaduras ou o botão do punho da camisa;

– Nada de camisas de futebol no trabalho. Por motivos óbvios e até em prol da segurança dos funcionários, a maioria das empresas já proíbe a peça. É melhor evitar;

– O jaleco sobre a camisa de gola com ou sem gravata. Ao sair do ambiente de trabalho, o jaleco ou o guarda-pó deve ser despido, porque não é parte do traje social e sua função é restrita ao local da atividade. Jalecos usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer;

– Calças muito baixas devem ser riscadas do visual. Não é bacana ficar com a cueca aparecendo. Invista em modelagens mais tradicionais e cortes retos;

– Os jeans devem ser usados com equilíbrio. Aqueles rasgados, nunca! Profissões para o trabalho no campo, no quintal, ou no jardim e nas oficinas podem fazer uso diário dos bem compostos. Atendimento do público, um atelier de arte e um estúdio de fotografia são lugares que se orienta o uso de peças mais formal;

– Não use chinelos e sandálias abertas. No máximo, torne-se adepto do sapatênis. Se a empresa for mais descontraída, aproveite para tirar do armário aquele tênis (em bom estado) que você tanto gosta;

– Não se usam meias claras ou brancas com sapatos escuros. As meias nunca devem ser de cano curto, pois deixam parte das pernas à vista quando o homem se senta. Sapatos sempre engraxados sem dar chance a alguém de saber de onde o outro vem, pelo barro na sola. Roupas limpas e passadas, sem manchas, rasgos ou falta de botões, é um mandamento básico;
– Sempre que possível, use o desodorante e o perfume de modo a não “brigarem” com o cheio do sabonete e da colônia de barbear;

– Homens também têm que ser “higiênico”, ou seja, dentes escovados, mãos lavadas (sempre muito limpas). Não se esquecer de engraxar os sapatos e os pelos sempre bem cortados (nariz, pescoço, orelha e sobrancelha);

– E por último: Seja sempre elegante, limpo, educado e cortês!

 

Salientamos que as dicas servem apenas como modelo para que você se adeque ao perfil de sua empresa. Cuide bem da sua imagem e muito cuidado com os excessos!

Fonte:

http://abrhnacional.org/

http://www.editora-opcao.com.br/ada360.htm

http://www.cobra.pages.nom.br/bmp-vesttrab.html

28 de fevereiro de 2011

Melhor ilusão de 2010

 

O matemático japonês Koikichi Sugihara ganhou o prêmio de melhor ilusão construída em 2010.

Vista por um olho só, o olho da câmera, ela parece ter o pilar central mais longo do que os demais, por causa da sua inclinação, que lhe dá uma superfície maior, embora ele seja baixo. Portanto, “o pilar central deve ser o mais elevado”, conclui logicamente seu cérebro, com base em suas experiências anteriores do mundo.

A ilusão é consequência dessa conclusão errada do cérebro na falta de perspectiva. A plataforma, na verdade, abaixo das rampas, parece estar acima delas.

Fonte: http://www.cerebronosso.bio.br/ns-vimos-ou-achamos-na-rede/2010/7/18/quando-o-cerebro-perde-a-perspectiva-rampas-magneticas.html

28 de fevereiro de 2011

Liderança

Os três erros fatais dos líderes

 

A liderança é uma arte, pois integra conhecimentos científicos comprovados com a lei das incertezas e o ” à descobrir “. Fora isso , exige intuição e humildade para auscultar os rumos da evolução. Dentre as diversas causas do sucesso e fracasso dos líderes, tres entretanto , são fundamentais :

1 – Medo do conflito : Temer os atritos das idéias e o conflito das verdades promove ausencia de vigor e de choque ” hibrido “. A sociedade, a empresa a nação fenece e a entropia aparece.

2 – Microgerenciamento : Lideres apaixonados por controlar a ” caixa de clips ” ou o relatório de centenas de  métricas dos vendedores, confundindo eficiência com eficácia.  Diminuem o ” empowerment ” , e só trabalham com funcionários ” robos “.

3 – Fazer extraordinariamente bem feito e certo, aquilo que é errado. Representa conduzir com altivez e orgulho o ” Titanic ” para o naufrágio. É o perder-se pelos ” modismos ” e roubar o foco da organização e dos liderados, colocando a atenção num desvio de ” distrações ”

Se adicionarmos às tres , a rainha de todas :  a gestão do próprio ego, e a sabedoria de saber sair com a governança da inevitabilidade da evolução; sem dúvida teríamos um mundo espetacularmente melhor. Caminhamos na marcha da insensatez…, mas caminhamos.

Fonte: http://migre.me/3Xv9c Por José Luiz Tejon Via @exame_lider e @exame_com

 

 

Líderes, queremos admirar vocês

 

Muito se fala sobre liderança. Muito se especula sobre liderança. No fundo queremos alguém para admirar e se espelhar. Ao menos eu sou assim. Não consigo ser liderado por alguém que eu não admire. Preciso, ao me sentar para uma conversa por exemplo, sentir que aquela pessoa tem algo para compartilhar comigo. Quero ouvir as experiências daquela pessoa.

Antes de continuar, uma foto:

Chico Buarque já contou em várias entrevistas a admiração que sentia por Tom Jobim. Essa foto deixa isso claro. Ele olha como quem vê alguém a quem os passos devem ser seguidos. Alguém para aprender, para compartilhar.

Para mim fica cada vez mais claro que só consigo ser liderado quando admiro o líder. Sem admiração, apenas cumpro a função. Faço por fazer. Não há vontade. Não há tesão (desculpem pela palavra, mas ela diz tudo). Se há admiração é outro papo. Faço com vontade. Sento para conversar e passaria horas ali. Não sinto o clima de competição. Em resumo: faço com prazer.

É claro que existe um grande problema. Quando o líder que admiramos desliza (faz algo em desacordo com os nossos valores), ele perde (um pouco) o poder de liderar. Assim como queremos trabalhar em empresas éticas, queremos líderes éticos e que atuem de acordo com valores sólidos. Muito da liderança vem do liderado quer ser o líder. Projetamos nele o nosso futuro. “Quero ser como ele quando crescer“. E isso só acontece com pessoas que admiramos.

Já que dei o exemplo do Chico Buarque, divido com vocês essa foto que exemplifica muito, para mim, o que é liderança (a foto é simplesmente sensacional). A garota, com um olhar de admiração. O Chico Buarque com cara de fascínio.

Em tempo: ambas fotos foram retiras do Tumblr Samba e Amor, dedicado ao Chico Buarque (http://chicobuarque.tumblr.com). A primeira foto, infelizmente, não sei de quem é. A segunda é do JF Diorio, da Agência Estado.

Fonte: http://migre.me/3Xv6b Por Lucas Rossi Via @VoceSA

 

 

Ser ou não ser líder?

Liderança é um assunto polêmico. Alguns profissionais têm de sobra, outros ficam devendo. Muitos consultores e estudiosos da área de recrutamento e seleção afirmam que essa característica nasce com o empregado; outros garantem que essa qualidade pode ser incorporada e aprimorada ao longo da vida profissional. Para esclarecer a questão, o blog da ABRH-Nacional conversou com a vice-presidente da associação, Elaine Saad.

Primeiramente, segundo Elaine, é preciso explicar que existem vários tipos de liderança, diferentes tipos de líderes e situações particulares em que alguém assume essa posição. Um líder é alguém que influencia e consegue transmitir confiança, segurança e força. “São pessoas que, por razões específicas, conseguem motivar um time e fazer com que ele trabalhe em prol de um benefício maior”, afirma Elaine.

Os líderes podem ser divididos em: (1) autoritário, aquele que determina as ideias e cobra obediência da equipe; (2) indeciso, que não assume responsabilidades e demonstra insegurança; (3) democrático, que trabalha pelo time e se preocupa com a satisfação coletiva; (4) liberal, que dá total liberdade ao grupo, mas acaba participando pouco das ações; (5) situacional, sem personalidade e sem firmeza em momentos de decisão; e, finalmente, o (6)  emergente, que assume a liderança diante de uma situação inesperada, mas que conquista o grupo e trabalha pelo reconhecimento geral.

Enquanto alguns profissionais rejeitam essa alcunha, outros fazem questão de ter a liderança como característica em seu perfil profissional. Haveria então alguma receita para uma pessoa se tornar mais líder? Segundo Elaine, é possível melhorar, mas a chave para alcançar esse status é o autoconhecimento. “Para liderar uma equipe, você precisa entender se gosta disso e se quer isso para si. Liderança é cuidar do seu trabalho e ainda ajudar os outros nos deles”, explica.

A executiva ainda faz questão de desmistificar a relação entre esse atributo e a realização profissional. “A liderança acontece naturalmente ou quando a buscamos. Seja como for, ela não deve ser o foco, mas sim uma condição em nossa carreira”, destaca.

Fonte: http://abrhnacional.org  Por Raissa Coppola


24 de fevereiro de 2011

14º CONORH – Natal/RN

A Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH/RN) realiza em 26 e 27 de maio de 2011, o 14º CONORH no Centro de Convenções em Natal/RN.

Encabeçado pela seccional do RN, o evento tem o apoio de todas as seccionais do Nordeste e tem conseguido motivar inclusive as demais ABRH’s do Brasil, fazendo com que gestores de pessoas de todo o país tenham o interesse por está no CONORH. A ABRH Nacional também se envolve beneficamente nesse processo sendo parceira e propiciando oportunidade de, através de uma visão representativa e influente, promover ações que estimulem a inclusão social no cenário das relações do trabalho no mesmo tempo em que se torna fonte de referência em gestão de pessoas.

O tema central do 14º CONORH é Revolucionando o Capital Humano: Liderança, Participação e Mobilização. O Objetivo é o de causar uma notável mudança, tornar os colaboradores cientes e movê-los na direção dos propósitos e metas da empresa, percebendo e potencializando qualidades extraordinárias em pessoas comuns na direção de uma mesma visão.

Nomes como Eduardo Carmello, Hendre Coetze e Luiza Helena, do Magazine Luiza já estão confirmados.

Participem!

Maiores informações:

  • ABRH/RN – www.abrhrn.org.br
  • Verbo Eventos – Sylvia Serejo – sylviaserejo@verboeventos.com.br

GM

24 de fevereiro de 2011

DT14 em Natal/RN

Oi gente!

O CD/DVD Diante do Trono 14 será gravado na Praia do Meio em Natal/RN no dia 16/07.

O tema será Malaquias 4.2 com foco na expressão Sol da Justiça.

A gravação tem o apoio das igrejas evangélicas locais e dos Governos Municipal e Estadual, definidos em reunião na última semana.

Veja abaixo as palavras da governadora Rosalba Ciarlini:

“A gravação será de importância ímpar para o nosso estado, consolidando famílias cristãs que visitarão nossa cidade e conhecerão o potencial turístico desta belíssima cidade que é Natal. O governo apoiará em todos os aspectos. E cremos que será o maior evento que a cidade já teve.”

No Nordeste, o Ministério, que tem como característica gravar seus trabalhos em cidades diferentes, já esteve em Salvador e em Recife. Levando em consideração a gravação acontecida nestas cidades, ganharão as pessoas que chegarem primeiro, pois o grupo sempre ensaia antes junto com os se antecipam. A expectativa é que mais de 300 mil pessoas compareçam ao local.

A arte acima foi feita pelos Irmãos DT, blog de informação sobre o Ministério Diante do Trono.

Maiores informações no link do DT  http://www.diantedotrono.com/dt-14-em-natal-gravacao-definida

Até lá!

Gil

23 de fevereiro de 2011

Retiro 2011

Em 2011, teremos uma opção a mais para vivermos uma alegria bem diferente.

No ano passado, recebemos o convite para participarmos, mas não pudemos prestigiar. Neste ano, não só aceitamos o convite, mas estamos fazendo parte da coordenação junto com a Presidência do Departamento de Jovens e Adolescentes da Assembleia de Deus – DEJAD no Setor 01, que engloba as congregações Cidade Alta, Presidente Bandeira, Passo da Pátria, Novo Alvorecer, Rosa de Sarom e Lírio dos Vales, além da sub-congregações de Lírio dos Vales 1 e Pantanal.

Ouvindo a voz de Deus foi o tema trazido pelo Ir Márcio, Presidente do Setor e norteará nossos passos para o propósito de nos envolvermos na vontade, da direção e nos ensinamentos das palavras do nosso mestre.

Poderemos ainda desfrutar e rever grandes amigos nesses dias. Que maravilha! A comunhão me chama a atenção.

Ah! Traga seu colchonete – Hehee

Até dia 05.

20 de fevereiro de 2011

As gerações dos últimos e dos próximos anos

Muito se comenta acerca de gerações quando se deseja nomear um grupo. As tendências inovadoras da alta tecnologia mudam o dia-dia das pessoas, mas não se pode esquecer de que existem pessoas que não viram o surgimento das inovações, mas que nasceram quando elas já existiam. Enquanto alguns de nós são testemunhas de como eram as coisas no passado, muitos as sabem por meio de comparações em textos de sites que fazem alusão ao tema.

Primeiro se falou em Geração X. Nascidos entre os anos 1960 e 1980, nela estão contidos os filhos da então chamada explosão populacional (Baby Boomers), após a Segunda Grande Guerra. O sentimento de mudança era claro nesta época. As pessoas buscaram o conhecimento inovador como questão peculiar a ser alcançado pelos que quisessem sobreviver.

A segunda Geração foi a Y. Estudiosos referem-se a essas pessoas também como Geração Next ou Millennnials, pois nasceram entre os anos 1980 e 2000, época que visualizaram a entrada do novo milênio. Devido seu alto grau de convencimento e habilidades, 20% desses jovens já ocupam cargos de liderança em grandes empresas na atualidade.

Dinâmica, inovadora, dedicada às novas tecnologias e consciência focada na importância do meio ambiente são características da Geração Z, que não tem uma data definida. Nasceram em 1990 e, portanto, podem ser integrante ou parte da Geração Y.

Mas por que então diferenciar? Porque diferente da Y, os Z’s nasceram envolvidos pela era digital, redes sociais e se tornaram consumidores extremamente exigentes. Enquanto os Y’s adquirem conhecimento, os Z’s escolhem. Eles preferem trabalhar em empresas que possuam diferenciais competitivos, a começar pelas suas atitudes e são inquietos pelas mudanças rápidas. Alguns apostam que devido o perfil, as empresas terão colaboradores muito mais multitarefa, devido o grau de envolvimento, principalmente as empresas que atuam no atendimento a clientes. O tempo desses colaboradores em uma empresa pode variar de dois a cinco anos. Aspectos como liberdade de opinião, aceitação de sugestões e inovações no dia-dia do trabalho são pontos que contribuirão para a retenção.

Todas essas gerações, independente do fato marcante de sua época, não podem esquecer que a maturidade e a experiência ainda fazem diferença. No quadro comparativo, as rápidas mudanças de nossos dias devem ser filtradas e embasadas antes de qualquer coisa. Afinal, a segurança continuará sendo o pilar de qualquer discurso. E isso nos leva a Gestão por Confiança, mas esse será outro capitulo…

PS:

Para os nascidos a partir de 2010, um novo grupo já é comentado, a Geração Alfa que é formada por filhos, tanto da Geração Y, como da Geração Z. Sua inovação é a rapidez do trabalho desencadeada pelos seus pais, que originou discussões atuais sobre a flexibilidade de horários e o expediente em casa.