Liderança

Os três erros fatais dos líderes

 

A liderança é uma arte, pois integra conhecimentos científicos comprovados com a lei das incertezas e o ” à descobrir “. Fora isso , exige intuição e humildade para auscultar os rumos da evolução. Dentre as diversas causas do sucesso e fracasso dos líderes, tres entretanto , são fundamentais :

1 – Medo do conflito : Temer os atritos das idéias e o conflito das verdades promove ausencia de vigor e de choque ” hibrido “. A sociedade, a empresa a nação fenece e a entropia aparece.

2 – Microgerenciamento : Lideres apaixonados por controlar a ” caixa de clips ” ou o relatório de centenas de  métricas dos vendedores, confundindo eficiência com eficácia.  Diminuem o ” empowerment ” , e só trabalham com funcionários ” robos “.

3 – Fazer extraordinariamente bem feito e certo, aquilo que é errado. Representa conduzir com altivez e orgulho o ” Titanic ” para o naufrágio. É o perder-se pelos ” modismos ” e roubar o foco da organização e dos liderados, colocando a atenção num desvio de ” distrações ”

Se adicionarmos às tres , a rainha de todas :  a gestão do próprio ego, e a sabedoria de saber sair com a governança da inevitabilidade da evolução; sem dúvida teríamos um mundo espetacularmente melhor. Caminhamos na marcha da insensatez…, mas caminhamos.

Fonte: http://migre.me/3Xv9c Por José Luiz Tejon Via @exame_lider e @exame_com

 

 

Líderes, queremos admirar vocês

 

Muito se fala sobre liderança. Muito se especula sobre liderança. No fundo queremos alguém para admirar e se espelhar. Ao menos eu sou assim. Não consigo ser liderado por alguém que eu não admire. Preciso, ao me sentar para uma conversa por exemplo, sentir que aquela pessoa tem algo para compartilhar comigo. Quero ouvir as experiências daquela pessoa.

Antes de continuar, uma foto:

Chico Buarque já contou em várias entrevistas a admiração que sentia por Tom Jobim. Essa foto deixa isso claro. Ele olha como quem vê alguém a quem os passos devem ser seguidos. Alguém para aprender, para compartilhar.

Para mim fica cada vez mais claro que só consigo ser liderado quando admiro o líder. Sem admiração, apenas cumpro a função. Faço por fazer. Não há vontade. Não há tesão (desculpem pela palavra, mas ela diz tudo). Se há admiração é outro papo. Faço com vontade. Sento para conversar e passaria horas ali. Não sinto o clima de competição. Em resumo: faço com prazer.

É claro que existe um grande problema. Quando o líder que admiramos desliza (faz algo em desacordo com os nossos valores), ele perde (um pouco) o poder de liderar. Assim como queremos trabalhar em empresas éticas, queremos líderes éticos e que atuem de acordo com valores sólidos. Muito da liderança vem do liderado quer ser o líder. Projetamos nele o nosso futuro. “Quero ser como ele quando crescer“. E isso só acontece com pessoas que admiramos.

Já que dei o exemplo do Chico Buarque, divido com vocês essa foto que exemplifica muito, para mim, o que é liderança (a foto é simplesmente sensacional). A garota, com um olhar de admiração. O Chico Buarque com cara de fascínio.

Em tempo: ambas fotos foram retiras do Tumblr Samba e Amor, dedicado ao Chico Buarque (http://chicobuarque.tumblr.com). A primeira foto, infelizmente, não sei de quem é. A segunda é do JF Diorio, da Agência Estado.

Fonte: http://migre.me/3Xv6b Por Lucas Rossi Via @VoceSA

 

 

Ser ou não ser líder?

Liderança é um assunto polêmico. Alguns profissionais têm de sobra, outros ficam devendo. Muitos consultores e estudiosos da área de recrutamento e seleção afirmam que essa característica nasce com o empregado; outros garantem que essa qualidade pode ser incorporada e aprimorada ao longo da vida profissional. Para esclarecer a questão, o blog da ABRH-Nacional conversou com a vice-presidente da associação, Elaine Saad.

Primeiramente, segundo Elaine, é preciso explicar que existem vários tipos de liderança, diferentes tipos de líderes e situações particulares em que alguém assume essa posição. Um líder é alguém que influencia e consegue transmitir confiança, segurança e força. “São pessoas que, por razões específicas, conseguem motivar um time e fazer com que ele trabalhe em prol de um benefício maior”, afirma Elaine.

Os líderes podem ser divididos em: (1) autoritário, aquele que determina as ideias e cobra obediência da equipe; (2) indeciso, que não assume responsabilidades e demonstra insegurança; (3) democrático, que trabalha pelo time e se preocupa com a satisfação coletiva; (4) liberal, que dá total liberdade ao grupo, mas acaba participando pouco das ações; (5) situacional, sem personalidade e sem firmeza em momentos de decisão; e, finalmente, o (6)  emergente, que assume a liderança diante de uma situação inesperada, mas que conquista o grupo e trabalha pelo reconhecimento geral.

Enquanto alguns profissionais rejeitam essa alcunha, outros fazem questão de ter a liderança como característica em seu perfil profissional. Haveria então alguma receita para uma pessoa se tornar mais líder? Segundo Elaine, é possível melhorar, mas a chave para alcançar esse status é o autoconhecimento. “Para liderar uma equipe, você precisa entender se gosta disso e se quer isso para si. Liderança é cuidar do seu trabalho e ainda ajudar os outros nos deles”, explica.

A executiva ainda faz questão de desmistificar a relação entre esse atributo e a realização profissional. “A liderança acontece naturalmente ou quando a buscamos. Seja como for, ela não deve ser o foco, mas sim uma condição em nossa carreira”, destaca.

Fonte: http://abrhnacional.org  Por Raissa Coppola


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: